#Inspire-se

Gabryella Corrêa criou uma startup que empodera outras mulheres

28 de julho de 2022

A história que vou compartilhar com vocês nos mostra a força de uma mulher que foi capaz de transformar dor em superação. Do assédio à criação do maior aplicativo de transporte feminino do mundo, Gabryella Corrêa transformou a revolta em empreendedorismo. 

Boa leitura 

Ana Claudia 

Ao sair numa noite de 2016 para encontrar amigas em um bar, Gabryella Corrêa não imaginava a reviravolta que sua vida daria. Como iria beber, deixou o carro em casa e foi de transporte por aplicativo. Então, veio o assédio. Em seguida, a constatação de que não era a única a passar por aquilo. 

Indignada foi pesquisar e descobriu que não existia um serviço por aplicativo que oferecesse segurança para as mulheres. Seu espírito empreendedor, todavia, falou mais alto e Gabryela vislumbrou uma possibilidade de negócios. “Vi a oportunidade de criar para nós, mulheres, uma plataforma que zelasse principalmente pela nossa segurança. Somos um dos países que mais fazem mulheres vítimas de assédio no mundo”, lembra. 

Assim, um ano depois nascia a startup Lady Driver. O aplicativo foi lançado com 1,8 mil motoristas cadastradas. O sucesso foi tanto que, atualmente, o Lady Driver já atingiu a marca de mais de 80 mil parceiras. Está presente em mais de 80 cidades e com mais de 2 milhões de passageiras cadastradas. 

Para Gabryella Corrêa, no entanto, os grandes números representam que soube aproveitar com inovação e profissionalismo uma oportunidade de mercado. Contudo, o que ela mais se orgulha é que, ao criar um negócio feito e pensado 100% para o público feminino, gerou uma onda de oportunidades para milhares de outras empreendedoras. “Mais do que oferecer um serviço diferenciado, o Lady Driver também inclui, protege e empodera as motoristas e passageiras que fazem uso do aplicativo.” 

Capacitação e inovação são apostas de Gabryella Corrêa 

Gabryella já tinha familiaridade com o setor automotivo. Trabalhou por 15 anos na oficina do pai, antes de atuar em nutrição, sua primeira formação. ”Empreender é encontrar soluções para os desafios diários. Então, você pode começar a empreender dentro da empresa que trabalha. Ou seja, essas experiências é que darão bagagem a você para quando abrir seu próprio negócio”, afirma. 

Segundo Gabryella, quem quer empreender deve se preparar e ter em mente que o retorno não é imediato. “Você precisa ter uma reserva financeira, estudar muito bem o seu ramo de negócio, estudar sobre finanças e administração. Bem como ter um mentor, alguém com quem possa trocar ideias e tirar dúvidas”. Aliás, foi o que ela fez, como já havia fechado um negócio por má gestão de recursos, foi buscar capacitação em Gestão Financeira e Administração de Empresas.   

Gabryella Corrêa inovou e empreendeu dentro do próprio negócio e em plena pandemia. Em 2021, com o sucesso lançou mais dois apps de mobilidade: o Lady Kiddos, para crianças, e o Lady Care, para pessoas idosas. “Tive de aprender muitas coisas. Afinal, o sucesso não vem para quem fica sentado e só manda”. Ela lembra que ousou em territórios predominantemente masculinos: automotivo e tecnologia. “A Lady Driver também veio para mostrar que as mulheres são excelentes motoristas, porque elas têm muito mais sensibilidade e cautela no trânsito”, enfatiza. 

A mulher que sofreu um assédio transformou sua dor em um negócio de R$ 50 milhões, que é referência global de modelo de serviço de transporte exclusivo para o público feminino. “Somos muito mais do que só uma empresa. Somos uma plataforma que investe tanto na proteção e segurança das mulheres quanto no empreendedorismo feminino”, conclui. 

Inspire-se em Gabryella Corrêa, que enxergou um ponto de virada dentro de uma situação ruim. 

COMPARTILHE