#Prepare-se

Registrar sua marca traz segurança e pode gerar lucros para seu negócio

4 de agosto de 2022

Você sabia que um dos mais importantes patrimônios de uma empresa é a marca? Isso mesmo. É por meio dela que o cliente identifica e se relaciona com o seu negócio. Criar, registrar e cuidar da marca do seu empreendimento pode gerar lucros. Além disso, evita que ela seja copiada e usada indevidamente e venha causar problemas para você. 

No entanto, ao abrir uma empresa, muitas pessoas confundem nome comercial com marca. Nome comercial é a firma ou a identificação adotada ao abrir a empresa e registrada na Junta Comercial do Estado. Com isso, acabam não dando a devida atenção ao registro da marca que precisa ser feito pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). 

Vamos entender o que é uma marca 

Conforme artigo art. 122 da Lei nº 9279/96, a marca é formada por sinais visualmente perceptíveis (nome, termo, sinais e símbolos) que, unidos identificam e diferenciam seu produto ou serviço de outros idênticos ou assemelhados de origem diversa. As três formas mais usadas em representações gráficas são: 

Nominativa ou verbal: sinal formado por palavras ou combinação de letras e/ou algarismos, sem apresentação fantasiosa ou figurativa. 

Figurativa: Também chamada de logotipo, é constituída por desenho, imagens e formas fantasiosas em geral. 

Mista: Combinação de elementos nominativos e figurativos, cuja grafia se apresente sob forma fantasiosa ou estilizada. 

 

Quais as vantagens? 

 Em primeiro lugar, porque é a única forma de proteção legal contra cópias, pirataria ou uso indevido. Além disso, ela passa ser sua propriedade, inclusive como herança. Sim, se renovado o registro a cada 10 anos, será sempre sua e de sua família. Afinal, uma marca registrada tem mais credibilidade e pode ser usada para franquear e expandir seus negócios. 

Conheça as etapas necessárias para registrar sua marca 

O processo de registro de uma marca, sinceramente, não é rápido e precisa de muita atenção para não perder os prazos entre as etapas. Basicamente são estas: 

Busca de marca – pesquisar no INPI para verificar se sua marca pode ser registrada. Se não há outra marca parecida já registrada 

Pagamento da GRU – Antes de entrar com o pedido de registro de marca, você deve pagar a Guia de Recolhimento da (GRU) 

Início do processo – A partir desse ponto, você precisará estar atenta com o preenchimento de formulários, taxas e envios de documentos para as diferentes etapas de análise do pedido de registro. 

Pedido deferido – Assim que seu pedido for aceito, você deve pagar uma taxa para emitir o certificado de registro. 

Achou complicado? Realmente não é fácil e exige algum investimento. Porém, necessário para aumentar a segurança do seu negócio. No entanto, a boa notícia é que você pode contar um uma assessoria especializada. 

O ACMarcas, por exemplo, é um produto da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) que auxilia os micros e pequenos empreendedores que desejam registrar sua marca. Um serviço oferecido tanto para associados como não associados. Os assessores do ACMarcas acompanham todas as etapas do processo de registro de marcas. Ou seja, desde a busca para saber se a marca pretendida é viável, até o deferimento e posterior renovação. 

Aliás, o ACMarcas oferece aos microempreendedores individuais e microempresas associadas da ACSP condições especiais. Para saber mais clique aqui

COMPARTILHE