#Prepare-se

A gestão do Capital de Giro e a saúde financeira da sua empresa

28 de julho de 2022

Agora que você já foi do papel ao CNPJ, começam novas etapas da sua jornada empreendedora. Nessa, vamos falar de Capital de Giro. Aliás, a má gestão financeira é o principal fator de fechamento das empresas. Entre os pequenos empreendedores, o erro fatal é usar o dinheiro da empresa para despesas pessoais 

Afinal, o que é Capital de Giro? Resumidamente, é o total de recursos que a empresa precisa para tocar as atividades do dia a dia. Ou seja, para repor estoques, pagar contas, imposto, salários, entre outros. Isto é: capital de giro = caixa e bancos + estoques + conta a receber (–) fornecedores + impostos + contas a pagar. 

O Capital de Giro garante a saúde financeira do negócio. Para tal, disciplina é a palavra-chave segundo o Juedir Teixeira, conselheiro do Conselho do Varejo – CDV da Associação Comercial de São Paulo – ACSP. Mestre em Gestão Estratégica de Negócios, Teixeira também destaca a importância em “separar a pessoa física da jurídica na hora de usar os recursos da empresa”.

Ele completa que para aumentar o Capital de Giro você precisa segurar o caixa, ou seja, gastar menos. Além disso, “também investir em estoque nos produtos com giro maior (com venda mais rápida), reduzir os prazos concedidos aos clientes, prolongar o prazo de pagamento aos fornecedores e reduzir impostos”.   

Gestão do Capital de Giro: confira outras dicas  

Como já destacamos, a saúde financeira da sua empresa depende, basicamente, de como você lida com os recursos financeiros. Veja alguns procedimentos simples, mas de grande impacto.

Fornecedores: Negocie sempre por melhores descontos e prazos maiores para pagamento. 

Contas a Pagar:  Busque permanentemente o aumento do prazo médio de pagamento. Bem como a renegociação da forma de pagamento, adequada ao fluxo de caixa da empresa. 

Impostos: Procure sempre a redução da carga tributária, por meio do planejamento tributário. Estude a mudança do Regime Fiscal (de lucro real para lucro presumido, de lucro presumido para o Simples). O objetivo é encontrar sempre o regime mais adequado ao tipo de negócio para cumprir as leis e pagar menos impostos. Nesse sentido, fique atenta para a compra de produtos com Substituição Tributária – ST que, dependendo do Estado de origem, pode trazer vantagem tributária. 

Estoque: Trabalhe com a menor cobertura de estoque possível. 

Essas e outras dicas estão no livro Gestão de Negócio: uma abordagem prática, de autoria e coordenação do conselheiro da ACSP Juedir Teixeira. 

Concluindo, o sucesso de uma empresa está em fazer o básico bem-feito. O cuidado com a saúde financeira do seu negócio passa por uma boa gestão do Capital de Giro. Aliás, outro ponto de grande atenção é a gestão de pessoas! 

Mas este é assunto para outro texto! Afinal, você vai encontrar frequentemente no nosso blog informações e dicas para inovar e aprimorar seu negócio. 

Finalmente, #ficaadica:  aposte na força do coletivo. Faça parte do Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura da Associação Comercial de São Paulo. Juntas, somos mais fortes 

COMPARTILHE