#Inspire-se

Milena Curado: da tradição familiar ao figurino de novela

1 de julho de 2022

A história que vocês vão conhecer agora, da Milena Curado, é uma daquelas que nos inspiram e nos mostram que todas podemos chegar lá. Depois de muito esforço e planejamento, suas criações hoje fazem parte do figurino da novela mais badalada do momento.  O que vocês vão ver a seguir é um exemplo de empreendedorismo e cidadania de mãos dadas. 

Para chegar aonde está, porém, Milena foi buscar informação e capacitação para aprender a gerenciar seu negócio, ser dona do seu destino. E como sempre costumo dizer e não canso de repetir: a mulher capacitada chega aonde ela quiser. A Milena, como a maioria de nós, mulheres empreendedoras, seja por necessidade ou por opção, um dia se viu diante do desejo de fazer algo diferente, de mudar a vida. 

Ela tinha até um bom emprego, mas não estava feliz. É nesse momento da vida, quando sentimos que algo precisa mudar, que aflora de dentro de nós a empreendedora. Já passei por isso várias vezes. Estou sempre em busca de algo novo, que possa mudar minha vida, de outras mulheres, suas famílias e comunidades. 

A trajetória de Milena também traz esses elementos de transformação. Mas não pensem que ela saiu jogando tudo para o alto. Assim como deve ser em toda jornada empreendedora, ela planejou sua transição para o empreendedorismo. Aliás, contou, no seu Estado, Goiás, com um importante parceiro nosso, o Sebrae. Aqui no Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura – CMEC temos muitos cursos em parceria com o Sebrae e outras entidades.

Habilidade e inspiração

Nessa jornada, a primeira coisa que ela fez foi buscar um dom, uma habilidade. Foi aí que entrou uma tradição familiar, um tipo de bordado antigo. Por morar numa cidade histórica, Goiás Velho, trouxe para as criações de suas peças a valorização da cultura goiana. O pertencimento, o fazer parte de uma comunidade, é muito inspirador para a mulher empreendedora. E sua fonte de inspiração foram os versos da escritora Cora Coralina, um ícone da cultura local. Aliás, em outra oportunidade também vamos falar sobre essa mulher inspiradora para a cultura do nosso país. 

Veja como o valor que a cultura tem para o negócio dela. “Devo muito do meu sucesso por estar nessa cidade repleta de referências culturais. Nossos bordados remetem às flores do cerrado, à arquitetura local e aos poemas de Cora Coralina”, conta. Aliás, parte da venda dos produtos com trechos da obra da poetisa são revertidos para o Museu Cora Coralina. 

No começo, contava com a mãe e a avó, que foi quem a ensinou a bordar aos 8 anos de idade. As primeiras peças foram oferecidas para as pessoas que trabalhavam com ela. É o que chamamos de testar o produto. Com a aceitação e aprovação do produto, a empresa regularizada, com nome e logomarca criados, passou a se dedicar exclusivamente ao negócio. Tenho para mim que boa parte do sucesso de uma empreendedora está no foco e dedicação ao seu negócio. O resultado desse período de testagem surpreendeu e surgiu, então, a necessidade de abrir um ponto comercial. Assim, em 2007, nascia sua primeira marca, a Cabocla Criações.  

Milena Curado uniu empreendedorismo e cidadania

Porém, com o aumento da demanda era preciso ganhar escala. E, para isso, precisava de mais mãos para o bordado. É nesse ponto que gosto de frisar que quando uma mulher empreende ela cria uma cadeia de transformações de vida. Da sua própria, de sua família e de seu entorno. 

Como o bordado era muito específico, seria preciso treinar e capacitar novas bordadeiras. Olha a solução que ela encontrou. “Pesquisei na cidade novas possibilidades de parceria visando manter a originalidade do produto, foi quando encontrei nas mulheres encarceradas a parceria ideal.” A partir de então, com o projeto aprovado pelos órgãos públicos, passou a capacitar as mulheres. A contrapartida era o aprendizado, a remuneração e a remissão de pena. E assim, em 2008, começou o Projeto Cabocla – Bordando Cidadania

Contudo, a mão de obra feminina não foi suficiente e o projeto se expandiu para o presídio masculino. Aqui volto a ressaltar o quanto uma mulher empoderada pode fazer para a sociedade. Ela conta que “as pessoas não acreditavam que homens, muitos deles brutalizados pela vida, pudessem fazer um trabalho tão sensível”. Hoje o projeto está com 25 reeducandos e nesses 14 anos já passaram cerca de 500.  Ela nos disse que “muitos deles abraçaram o bordado como meio de sustento, mesmo após a liberdade”.

Capacitação e inovação

Apesar da formação e experiência anterior em gestão, Milena sabia que a capacitação seria fundamental para o negócio. Foi aprender sobre qualidade, precificação, embalagem, identidade de produto, mídias sociais, entre outros. Recentemente ela concluiu um MBA em Moda e Economia Criativa. Aliás, para mim, capacitação deve ser um mantra para mulheres empreendedoras. 

E não pensem que empreender é fácil. Exige muito esforço e suor.  Da tradição familiar ao figurino de novela, muitas barreiras foram superadas por essa empreendedora. Para divulgar sua marca de roupas exclusivas, Milena viajou por todo o país, participando de feiras de empreendedorismo. Em 2014, tornou-se a primeira goiana a ganhar o Troféu Ouro Estadual e Nacional no Prêmio Sebrae Mulher de Negócios. 

Gosto de citar outra crença que tenho muito forte dentro de mim: nunca estamos prontas e preparadas o suficiente. A mulher empreendedora que quer ter sucesso precisa ser uma curiosa, querer sempre descobrir coisas novas, estar por dentro das tendências. 

Aliás, foi por esse desejo em inovar que, mesmo já com um negócio consolidado, Milena percebeu que ainda faltava conhecimento técnico em modelagem. O que ela não imaginava é que dali surgiria um novo e inovador negócio. “Foi no curso que conheci a chita estonada. Como ela é transparente, resolvi forrar a peça com outra chita. Criando, assim, uma dupla face, com costura francesa.” Olha a importância de estarmos sempre em busca de algo mais. 

Graça aos conhecimentos aprimorados até então, ela percebeu que era um novo negócio, uma nova marca: a Milena Curado. O apelo de uma roupa que vale por duas, baseado em economia criativa e práticas sustentáveis, trouxe um valor agregado à nova marca. E olha a ousadia: o lançamento foi no meio da pandemia. 

Novas oportunidades

Nesse ponto da história vale ressaltar que a mulher empreendedora deve estar antenada com todas as ferramentas possíveis de divulgação e comunicação. É por elas que vai se aproximar dos clientes e encontrar novas oportunidades.

 A Milena Curado, por exemplo, fez toda a comunicação e divulgação do novo produto por mídias sociais. E foi por elas que uma pesquisadora de novos talentos a encontrou. Veja como foi. “Um dia recebi uma mensagem da assistente de figurino da novela Pantanal, da Rede Globo, dizendo que tinha interesse nas minhas peças para a personagem Filó.”  Resultado: as roupas da nova marca da Milena fazem parte do figurino da personagem interpretada pela atriz Dira Paes. Muito legal, né?

Esse episódio reforçou para a Milena o quanto é importante “a marca usar todos os canais de comunicação e da forma correta”. Para ela, aliar tecnologia com a valorização da cultura pode ser um diferencial, especialmente para quem vive em cidades turísticas. E olha que tocante essa citação dela. “Gosto muito de uma frase da Cora Coralina que para mim resume muito do que vivo como empreendedora: ‘Recria a tua vida, sempre, sempre’.” 

Eu disse que história da Milena Curado era inspiradora.  São por esses e outros exemplos que fortaleço ainda mais minha missão de trabalhar para o desenvolvimento do empreendedorismo feminismo. Aproveito e deixo aqui meu convite para que você conheça melhor e faça parte do nosso CMEC. A próxima história inspiradora pode ser a sua!

Até a próxima e um forte abraço!

Ana Claudia Badra Cotait

COMPARTILHE